Projecto ecológico

A produção e a utilização de uma spirulina camponesa e artesanal apresentam numerosos aspectos ecológicos, e propõem respostas às nossas preocupações socialmente responsáveis e portadoras de Sentido.

A produção de spirulina é ecológica
 

A quantidade de água necessária à produção de 1 Kg de proteinas é fenomenalmente inferior à necessária no caso da soja ou da carne:
E se compararmos a produtividade por hectare:

Como a produção de spirulina se faz em tanques, pode se utilizar terras de menos boa qualidade, ou até inférteis. Os fertilizantes – insumos utilizados para nutrir a spirulina são totalmente utilizados por ela. Não há desgaste dos solos como na agricultura convencional porque esta cultura se faz em ambiente fechado.

A actual produção de carne mobiliza perto de metade das terras agrícolas do planeta e nos países do continente americano, muitas culturas são OGM. Reduzir o consumo de carne e substituí-la por proteínas vegetais (a spirulina contem cerca de 60%) faria diminuir os gases de efeito estufa devidos às culturas, e às emissões de metano pelos ruminantes. Para além do mais a spirulina nutre – se de dióxido de carbono e produz oxigénio.

Na nossa quinta, implementamos um tanque de reciclagem dos expurgos e as águas usadas são recicladas num outro tanque através de plantas.

 

Uma instalação exemplar em Portugal.

O nosso projecto ecológico esta instalado na Serra de Monchique sobre canteiros cujos magníficos muros são os vestígios daquela época onde estas terras eram cultivadas por famílias de um modo quase auto-suficiente.

Este terreno encontra se em pousio há mais de 20 anos; de facto o concelho de Monchique perdeu mais de metade da sua população desde há una quinzena de anos: consequência do não reconhecimento da importância dos camponeses, os filhos fizeram estudos, às vezes superiores, e foram se embora para as cidades. Para nós, criar uma quinta de spirulina neste contexto faz sentido: em Portugal, milhões de hectares encontram se incultos; no entanto aqui são comuns os lugares onde há boa água e sol. Ao nos instalarmos num lugar isolado (estamos a 5km de Monchique), estamos a ocupar um espaço agrícola abandonado, trazendo uma nova energia para cuidar destes espaços quase selvagens; e é também participar à prevenção dos incêndios que já fizeram devastações importantes, há cerca de10 anos. O nosso objectivo é propor uma alternativa, plena de bons efeitos para a saúde, uma alternativa à monocultura de eucaliptos destinada ao fabrico da pasta de papel; eles crescem com tanta facilidade que asfixiam qualquer outra vegetação, e é praticamente impossível destruir as suas raízes para fazer outras culturas.

Uma estrutura como a nossa requer um investimento moderado e pode gerar um rendimento razoável para uma família; é um exemplo reprodutível, para além do mais a nossa vontade é de manter uma dimensão humana, e desejamos partilhar com outros portadores de projectos os nossos saberes… Sentido e Partilha.

Preço justo

Este elemento faz parte integrante do nosso projecto : fazer crer, como se vê desde há anos, que o preço dos bens alimentares deve ser o mais baixo possível, é fazer a economia das perguntas: quem produz? Onde? Como? Como vive esse produtor? O que aconteceu à sua dignidade? Uma quinta agrícola desaparece na Europa a cada 2 minutos, e Portugal deixou de ser auto-suficiente ao nível alimentar. Propomos a spirulina a um preço que pode parecer elevado relativamente às produções industriais das quais se desconhece a origem e de que não se pode avaliar a qualidade química. Este preço é o do nosso trabalho, e do reconhecimento do nosso empenho qualitativo, sem vontade de enriquecer; do qual viver decentemente; temos a oportunidade de viver do nosso trabalho num lugar único, e apreciamos isso.

Podem vir ter connosco, partilhar, visitar as nossas instalações, aprender o cultivo familiar de spirulina… Com toda a transparência, vos mostraremos as análises qualitativas. Este elo de proximidade é também um contacto humano, à volta da spirulina: um alimento do mais longínquo passado e portador de esperança para o futuro.

.

Subnutrição e produção familiar

A nossa quinta pode ser um lugar de aprendizagem para projectos de vocação humanitária com vontade de lutar contra a subnutrição; tais tipos de quintas existem na Africa francófona; podemos ter esperança que apareçam tais projectos para a Africa lusófona e poderemos contribuir para a sua realização.

Uma outra faceta dos nossos projectos é favorecer uma produção familiar de spirulina: num tanque de 1m2 com 20cm de meio de cultura criado por insumos, é possível  recolher cada dia a quantidade necessária para uma pessoa; isso, com o nosso clima, de Maio a Outubro; a spirulina desenvolve se muito bem desde que o meio tenha uma temperatura a partir de 25° até 37°.

 

jean paul jourdan, a pioneer about spirulina

 

Um pioneiro, desde sempre, da spirulina, Jean Paul Jourdan, propõe o download de um manual da cultura artesanal « cultivez votre spiruline »  : http://spirulinefrance.free.fr/Resources/Manuel.pdf em francês, com uma parte em inglês e espanhol; manual muito completo, e actualizado regularmente. Ele publica cada mês ‘’les petites nouvelles de la spiruline’’em francês ; noticias da família mundial da spirulina.  http://spirulinefrance.free.fr/lespetitesnouvel.html

Copyright 2015 Spirulina da Serra - Monchique | All Rights Reserved